Lore:Dagoth Ur

Lore: Deuses: D
200px Alert image.png NOTA!

Este artigo ainda está em processo de tradução, portanto, está incompleto.

Ajude! Se você tem o conhecimento necessário, por favor edite este artigo para que possamos remover a marcação de Incompleto.


Dagoth Ur

Dagoth Ur, também conhecido como Voryn Dagoth[1] e o Sharmat,[2][3] foi o imortal Lorde Alto Conselheiro da Casa Dagoth, que residiu embaixo da Montanha Vermelha com seu povo, os Vampiro das Cinzas, e legiões de monstros com Corprus.[4]

História

A Guerra do Primeiro Conselho

Quando mortal, Lorde Voryn Dagoth era um dos poucos que sabiam da existência do Coração de Lorkhan, junto a Vivec; Almalexia; Sotha Sil; e seu líder, Lorde Indoril Nerevar.[5] Dagoth alegou que o sumo sacerdote Dwemer, Kagrenac, estava extraindo poder do Coração usando ferramentas específicas, para criar um deus mecânico, o Numidium, que seria usado contra os Chimer.[5][6] Após Azura confirmar o relato de Dagoth, medidas foram tomadas para impedir os Dwemer, começando uma guerra que culminou no desaparecimento dos Dwemer e a transformação dos Chimer nos Dunmer.[7][8]

Seguindo a derrota dos Dwemer, as Ferramentas de Kagrenac, o Artesão Mestre foram apropriadas pelos Chimer, e Lorde Nerevar tinha o fardo de decidir o que fazer com elas.[5] A princípio, Dagoth pediu a sua destruição imediata, fosse as Ferramentas ou Coração em si, o que levou Nerevar a acreditar que ele podia ser de confiança para proteger-las, enquanto Nerevar consultava seus conselheiros, o Tribunal de Vivec, Almalexia e Sotha Sil (e a padroeira daédrica dos Dunmer, Azura).[5][6]

Infelizmente, quando Nerevar e o Tribunal retornaram à Montanha Vermelha, concluindo que as Ferramentas de Kagrenac deveriam ser preservadas, porém jamais usadas, Dagoth recusou-se a abrir mão delas, sustentando que ela fora confiado a proteger-las.[6] Desconhecido por eles na época, Dagoth havia feito experimentos com as Ferramentas no Coração, durante a ausência de Nerevar, e de alguma forma conseguiu roubar parte de sua essência divina e poder.[9] Ele se auto-declarou Dagoth Ur, e foi para sempre conhecido por esse nome (é possível que Nerevar pode ter inevntado o nome).[5][6] Nerevar e os guardas do Tribunal derrotaram Dagoth Ur, que foi repelido e alegadamente ter sido assassinado.[6][9] Sua Casa deixou de existir; os remanescentes foram ou assassinados, ou juntaram-se as demais Grandes Casas(embora tenha sido reformulada mais tarde).[1][4] Entretanto, Nerevar foi mortalmente ferido e faleceu logo depois.

Algumas fontes alegam que Nerevar morreu pelas mãos do Tribunal, que o assassinou quando deixou a Montanha Vermelha para consultá-los, foram eles que lutaram com Dagoth Ur pelas Ferramentas, e Dagoth lutou para vingar a morte de Nerevar.[5][10] Essas declarações foram veementemente negadas pelo Templo do Tribunal, assim como Vivec; e mesmo a versão de Dagoth Ur contradiz isso, já que o próprio admite ter duelado com Nerevar embaixo da Montanha.[5][1] De qualquer forma, o Tribunal não obedeceu o último desejo de Nerevar: anos depois, quando Sotha Sil estudou seus secredos, o Tribunal regressou a Montanha Vermelha e usou as Ferramentas de Kagrenac para roubar poderes divinos para si mesmos.[9][6] Dagoth Ur também conseguiu forjar uma conexão ao Coração, de alguma forma: ele permaneceu vivo e imortal, embora sem corpo e dado como falecido.[9][11]

O Regresso

A Barreira Fantasma

Os intentos do Tribunal se provaram desastrosos, apesar de suas grandes e heroicas façanhas em seu estado divino.[11][12] Em 2E 882, quando o Tribunal viajou à Montanha Vermelha para renovar sua conexão ao Coração em um ritual para banhar-se, eles encontraram Dagoth Ur outra vez, ressuscitado em uma nova encarnação, e com poder divino ao nível dos deles.[9][13] Incapazes de adentrar a Câmara Cardíaca da Montanha Vermelha, eles foram forçados a se render. Dagoth Ur tinha controle exclusivo do Coração a esse ponto, e ficava mais forte enquanto o Tribunal ficava mais fraco.[13]

Sucessos subsequentes permitiram Dagoth Ur expandir ainda mais sua esfera de influência: primeiro a cidadelas Dwemer, e depois ainda mais por diferentes meios de espalhar doenças da Mangra. Em 3E 417, veio o pior golpe: em parte de um plano mal orientado para recapturar as cidadelas Dwemer, Almalexia e Sotha Sil perderam os artefatos Sunder e Keening, duas das Ferramentas de Kagrenac, e tiveram que ser resgatados por Vivec. Eventualmente, o Tribunal foi forçado a deixar suas vidas e devotar-se a maior parte do tempo mantendo a Barreira Fantasma mágica que eles ergueram, para evitar a esfera de influência de Dagoth Ur de se espalhar. Mesmo isso foi apenas um sucesso parcial; criaturas infectadas com Mangra podiam voar sobre ela, e havia uma passagem abaixo do chão para a Fortaleza Dunmer perdida de Kogoruhn, o reduto da Casa Dagoth em vida, por onde outras criaturas adoentadas e infectadas com Corprus poderiam escapar a Montanha Vermelha.[13]

Agora possuindo apenas uma das ferramentas de Kagrenac, a manopla Wraithguard, o Tribunal não podia - sequer ousou - passar os limites de sua própria Barreira Fantasma para recuperar as demais. Enquanto Sotha Sil e Almalexia absteram-se do mundo, Vivec permaneceu sozinho mantendo a Barreira Fantasma, uma tarefa que exigia tanto de suas energias que ele não poderia sequer sair de seu Palácio, o os Ordinators de seu Templo saíram de seu controle e se tornaram ainda mais fanáticos e rígidos enquanto a fé dos Dunmer vacilava. Enquanto isso, Dagoth Ur se preparou para construir Akulakhan, o Segundo Numidium, um deus-máquina de bronze que usaria para conquistar toda Tamriel.[13]

Fortaleza de Dagoth Ur dentro da Montanha Vermelha

A Chegada do Nerevarine

Tudo isso mudou com o advento do Nerevarine.[11] Este forasteiro de Morrowind foi a reencarnação de Nerevar profetizado por Azura, que voltaria para corrigir os atos desonrosos de seus conselheiros.[5] Vivec e Dagoth Ur se prepararam para a chegada do Nerevarine da melhor maneira possível, embora eles não sabiam quando, onde, ou em quem a profecia seria cumprida. O Nerevarine reuniu-se com Vivec, que lhe ofereceu conselhos sobre como derrotar Dagoth Ur, mesmo sabendo que o sucesso do Nerevarine e a destruição do coração de Lorkhan significaria a perca de seu poder como semideus. [3][9] Dagoth Ur lhe ofereceu poder, e a chance de usar Akulakhan para expulsar o Império de Morrowind.[1]

O engano, traição e confronto que Dagoth Ur incentivou entre seus seguidores o deixou incapaz de entender o Nerevarine: ele não poderia deduzir de antemão se o Nerevarine procuraria lutar ou se juntar a ele, mesmo quando o Nerevarine finalmente o confrontou no interior da Montanha Vermelha.[1][14] O Nerevarine cortou a conexão de Dagoth Ur com o Coração de Lorkhan, ao mesmo tempo destruindo Akulakhan. Dagoth Ur mais uma vez se tornou mortal, perdendo sua divindade. Embora ele fosse, no entanto, um poderoso feiticeiro, o Nerevarine o superou em combate e trouxe um final ao mal antigo. Ao invés de repetir os erros do passado e buscar poder para si, o Nerevarine partiu em uma expedição a Akavir.[15]

Notas

  • "Dagoth-Ur" is é outro nome para a Monatanha Vermelha, e é normalmente distinguível da deidade "Dagoth Ur" por conta do hífen, porém o uso da distinção é bastante inconsistente. Assim como as cidades de de Vivec, Almalexia e Sotha Sil, distiguir entre o local e pessoa depende do contexto.

Veja também

Referências