Abrir menu principal

UESPWiki β

Shivering:16 Accords of Madness, v. VI



Sempre orgulhoso e jactancioso, O Príncipe Louco de Oblivion ficou um quinto dia do meio do ano entre os picos gélidos de Skyrim, e acenou para Hircine para apostar. O Deus Caçador se materializou, pois este era seu dia, e a ousadia de Sheogorath o intrigou.

Irônico sem igual, Sheogorath mantém em seus reinos lunáticos risonhos, autores extravagantes e mutiladores covardes. O Príncipe Louco fará barganhas inúteis e promoverá derramamento de sangue sem sentido por nada mais do que a alegria da confusão, tragédia ou raiva de outra pessoa. Foi assim que Sheogorath montou um palco para se apresentar como rival de Hircine.

Sem hesitar, o Príncipe Tímido ofereceu o seu desafio; cada príncipe devia preparar uma besta para se encontrar novamente neste lugar, três anos a fio, e fazer uma batalha fatal. Inexpressivo por trás de seu semblante temível, Hircine concordou, e com nada além de uma camada de neve no vento, os Príncipes foram para seus reinos.

Confiante, porém sabendo que Sheogorath é um trapaceiro, Hircine secretamente criou uma abominação em seu reino oculto. Ele invocou um antigo Daedroth, e o imbuiu com a maldição imunda da licantropia. De coração de breu e de canino recortado, o horror indescritível não tinha igual, mesmo entre os grandes caçadores da esfera de Hircine.

No terceiro ano, no dia combinado, Hircine retornou, aonde Sheogorath se apoiou, de pernas cruzadas em uma pedra, assobiando pacientemente. O Príncipe da Caça jogou sua lança no chão, trazendo seu gigante antinatural e rosnando. Tirando o boné, astuto como sempre, Sheogorath se levantou e deu um passo para o lado para revelar um pequeno pássaro colorido empoleirado no topo da pedra. Ele gorjeava recatadamente nas rajadas eriçadas, quase inaudível.

Em uma pulo retorcido e saltitante, o Daedroth aterrissou sobre a pedra, deixando apenas escombros onde a pedra estivera. Achando que foi vitorioso, Thinking itself victorious, a boca ensanguentada do monstro se curvou em um sorriso zombeteiro, quando uma música suave flutuou no ar fresco. O pequeno pássaro saltou levemente ao longo do focinho do furioso Daedroth. Sheogorath observou, silenciosamente alegre, enquanto a criatura diminuta pegava um pedaço de detrito preso em escamas entre os olhos ardentes da fera maior. Com fúria uivante, a besta se cegou tentando arrancar o incômodo. E assim continuou durante horas, Hircine olhando envergonhado enquanto a sua melhor besta se destruía gradualmente em busca da ave aparentemente alheia, sempre a chilrear uma melodia lúgubre.

Lívido, mas espancado, Hircine queimou o cadáver esfarrapado e se retirou para seu reino, xingando em línguas esquecidas. As suas maldições ainda pairam naqueles picos, e nenhum viajante permanece por medo do seu aspecto colérico naquelas alturas obscuras.

Girando nos calcanhares, Sheogorath chamou o minúsculo pássaro canoro para pousar em cima de seu ombro, e desceu a montanha, aproveitando as brisas quentes e o pôr do sol vibrante da costa Abeceano, assobiando em sintonia com o menor campeão de Tamriel.


Ant.: Nenhum Acima: Dezesseis Acordos da Loucura Próx.: Volume IX